segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Haul de Dezembro


Estes foram os livrinhos que me chegaram cá a casa durante o mês de Dezembro. Ainda vou fazer outro vídeo para as prendas de natal, que são basicamente, outra pilha do mesmo tamanho desta! Obrigada já de ante mão, a todos as minhas amigas que me ofereceram livros este natal =) vocês são as maiores! 
Sobre estes meninos novos na estante, estou obviamente entusiasmada com todos (como sempre). No entanto há uns que me estão a berrar ao ouvido mais que outros. Especialmente o segundo livro da trilogia Endgame! Mal posso esperar por me atirar de novo aquelas aventuras e mistérios! Também estou em pulgas para ler o livro novo da Kate Morton. Mas com medo! Muito medo! Enfim... avizinha-se a conversa do costume. Tenho de reduzir a compra de livros e atirar-me aquilo que tenho cá por casa. Tenho tanta coisa boa na estante por ler, que vai sempre ficando para trás, por conta das novas aquisições. Não pode ser.
Ainda me lembro de quando tinha apenas cerca de 20 livros por ler. Tinha ainda uma prateleira ao lado da estante onde ia colocando os livros que eram prioridades. Ia sempre adicionando livros novos conforme ia dando vazão aqueles. Agora olha... no estado em que a coisa está, sempre que termino uma leitura fico a olhar para as estantes a escolher, escolher, escolher ... e assim fico...
Certamente que não estou sozinha nisto; o que me vai dando algum alento é saber que não sou a única maluquinha dos livros por ai! Mas lá terá de ser. Se continuar a comprar livros que nem uma maluca, ainda que os compre muito mais baratos, como é o caso, nunca vou conseguir reduzir a lista de livros por ler. Já estou a preparar os posts de análise às leituras e desafios do ano e aí faremos contas! Por agora, vejam as novidades que tenho por aqui. Já leram algum?



sábado, 26 de dezembro de 2015

PASSATEMPOS DE NATAL * RESULTADOS

Trago-vos os resultados dos 2 passatempos de Natal feitos até agora aqui no blog. Os vencedores já foram contactados, mas só agora tive oportunidade de vir aqui divulgar publicamente os resultados.
Uma pequenina consideração acerca dos passatempos. Recebi uma mensagem de um "leitor" do blog muito chateado, por vários motivos. Um deles, e como ele próprio dizia, "ah e tal, no ano passado houve mais passatempos". Verdade que sim. "ah, os resultados demoram muito a sair". Verdade também.
E se se estão a perguntar de que forma é que estes dois pontos se relacionam, deixam que vos esclareça, não vá o "leitor dos passatempos" ficar ainda mais zangado por não obter resposta da minha parte. 
O ano passado houve mais passatempos, porque estava em casa desempregada, sem nada para fazer e, portanto, com muito tempo livre para dedicar ao blog. Já comentaram comigo que o blog anda paradito. Verdade; mas não tenho mesmo tempo para cá passar e fazer tudo aquilo que me apetece. E honestamente, passar aqui durante 3 minutos para colocar o lançamento do livro X, só para dizer que postei algo, não me agrada. Se é para fazer as coisas, ao menos que sejam bem feitas! Detesto fazer coisas à pressão, assim como detesto sentir que não consigo dar vazão a tudo. 
Outro aspecto que o senhor referiu, foi que demoro muito tempo a lançar os resultados dos passatempos. Aqui a coisa até é fácil de responder. Não querendo ser mal educada, e correndo o risco de o ser, se vocês que estão desse lado, não respeitam as regras de participação, não me facilitam a vida na hora de conferir as coisas; pois se uma regra é a de que só se pode participar uma vez e nem essa é cumprida, já estão a ver a coisa. Encontrar N vezes nomes repetidos e N vezes ter de eliminar participações, não é algo que me dê propriamente gozo de fazer, para além de que me deixa os olhos em bico!
E pronto meu caro, aqui tem as suas respostas. Por favor sintam-se livres para fazer como este leitor disse que iria fazer e deixar de seguir o blog. Se estão desse lado apenas pelos passatempos, das duas uma, ou ficam e aguentam o atraso enorme de 6 dias que este passatempo teve, ou saem e levam com vocês toda a má disposição do mundo =)
Posto isto vamos então aos resultados. O passatempo para o livro O Feiticeiro e a Sombra, contou com um total de 69 respostas, sendo que válidas foram 56. O Passatempo para o livro Memórias de um Vampiro, contou com 77 participações e 75 válidas. Os vencedores foram o Hugo Machado, de Braga e a Teresa Carvalho, de Estarreja, com os números 4 e 16 respectivamente.  






Muito obrigada a todos os que participaram e desculpem lá qualquer coisinha. Adoro este espaço e adoro a interacção que vai acontecendo por meio do blog, canal e página do facebook. Mas não suporto pessoas mal agradecidas ainda por cima no Natal! É que isto dá mesmo muito trabalho... mas enfim. 
Vêm por aí mais passatempos por isso aguardem. 


Desafio | Calendário de Natal Literário



Respondi esta semana a um desafio literário, que foi criado pela Joca do canal Little House of Books e que é perfeito para qualquer pessoa que adore empanturrar-se em chocolate. Consiste em responder a 24 pequenos desafios consoante se vai abrindo as janelinhas do nosso calendário do advento. Calculo que praticamente todos conheçam estes calendários visto que fazem parte da infância de tantas pessoas. No vídeo que fiz para o canal acabei por abrir apenas 8 janelinhas. Não comi os chocolates e nunca consigo responder a estes desafios de forma rápida, pelo que os vídeos acabam por ficar sempre muito grandes. No entanto, acho que era giro responder às restantes questões aqui no blog, excepto claro, aquelas que envolvem cenas físicas que não consigo fazer e mostrar-vos. Portanto, aqui vai bomba e por favor, caso queiram sintam-se livres para responder a estas questões nos vossos blogs e venham cá dizer-me! Adianto já que gostava muito que ver a minha prima Cláudia, do blog Curly aos Bocadinhos, responder! Aqui ficam as questões e ah, não vou responder às questões que estão no vídeo, para a coisa não ficar repetitiva. 

1 – leitura atual


Neste momento estou a ler um livro nada natalício. Não sei o que se passa comigo ultimamente que só me apetece ler ou reler cenas do passado; mais concretamente, reler toda a saga Harry Potter (que não estou a fazer) e reler a saga Twilight. 
No caso deste ultimo, encontro-me a ler Crepúsculo, na sua nova versão re-imaginada pela autora. Até agora tudo bem e estou a gostar bastante, no entanto está a ser um bocadinho difícil associar estas novas personagens às originais. 
É sempre bom poder regressar a personagens e locais que nos trazem um certo conforto. De alguma forma que eu não consigo explicar, twiligth faz isso por mim. Outro livro que quero muito ler e que irá ser sem dúvida (eu sei que digo isto muitas vezes) uma das próximas leituras é o 3º volume de Outlander. Aqui agradeço que me atirem pipocas à cabeça e me perguntem "o que raio se passa contigo Neuza?". Porquê esta súbita fixação com Outlander? Não sei... apenas sei que desde que no outro dia vi umas imagens sobre a Escócia, de passagem na tv, que não me apetece outra coisa se não regressar aquele mundo. Cheguei até a sonhar com o Jamie e a Claire. Posto isto vamos mas é passar ao próximo desafio... porque no estado de obsessão em que me encontro sou capaz de ficar a falar destes dois por horas (e nem sequer gosto deles). 

2 – fala-nos de uma tradição de natal
Hum.. tradição de Natal... deixem cá pensar... ah tudo o que está relacionado com a decoração da casa. São pequeninos hábitos que adquiri em criança e que não abandono. O maior é o de montar a árvore sempre no dia 1 de Dezembro e as restantes decorações ir colocando ao longo dos dias. Também tem de haver sempre um pai natal de chocolate debaixo da árvore, ao invés do presépio. Será que isto podem ser consideradas tradições. Afinal de contas são hábitos que não quero nunca perder. 

3 – faz uma árvore de natal com livros
Não fiz, mas tenho ideia de no ano passado ter partilhado uma foto de uma árvore de natal feita com livros, que encontrei numa livraria em Guimarães. 

4 – canta uma música de natal

5 – livro que querias ler em 2015 e não conseguiste
Ai que agora é que a porca torce o rabinho. Por onde começar. São tantos os livros que gostava de ter lido em 2015 e aos quais não cheguei. Tenha sido por falta de tempo, vontade ou simplesmente ter tido mais livros no caminho do que aqueles que esperava, a verdade é que houve bastantes meninos que ficaram na estante à espera para serem lidos no próximo ano. Um exemplo disso é o livro O Nome do Vento. Este livro fazia (e faz) parte do desafio pilha feira do livro 2014. Um desafio simples que consistiu em fazer uma pequena pilha de livros adquiridos na feira de 2014 e que deviam ser lidos no decorrer deste ano. Confesso que fiquei bem aquém das expectativas. Mas num post de análise aos desafios logo vêem como a coisa correu. O tamanho do livro sempre me intimidou. Se por um lado tenho várias pessoas a dizerem que se trata de uma obra de fantasia simplesmente brutal, por outro tenho uma senhora que vai comigo no comboio todos os dias e que está, sem exagero, há mais de 2 anos com o livro. Portanto ela anda há coisa de 2 anos, todos os dias, para trás e para a frente com aquele tijolo e não há modo de o terminar. Scary hum? Se vissem isto todos os dias, não se acagaçavam também?

6 – o que estás a usar no momento como marcador de páginas
Ora por quem me tomam? Mas é claro que estou a usar um marcador próprio para o efeito. Aliás, até estou a usar um que me ofereceram este Natal e que é muito giro por sinal. 

7 – melhor filme para se ver nesta época
Para mim, os clássicos de natal. Todos os anos é tradição ver o Sozinho em Casa. Os dois primeiros filmes feitos. Os mais recentes não têm tanta graça. ainda que uma pessoa saiba exactamente como é que a coisa vai acabar, temos sempre de os ver de novo. 
Nesta categoria do "temos sempre de os ver de novo", também se incluem os filmes do Harry Potter, que todo o santo Natal dão na tv. Não me queixo! São a desculpa perfeita para relaxar. 
Tenho saudades de filmes mais velhotes que antes passavam nesta época, especialmente de uma trilogia fantástica. O grande clássico "Olha quem fala". Quem se lembra destes filmes? Refiro-me especialmente ao 3º filme com os cães. Passa-se mesmo na época natalícia e tem um final lindo! Aiii a nostalgia! Tenho de procurar estes filmes on line para rever. Adoro-os!

8 – veste um pijama
Não precisam de me mandar duas vezes. Não tiro o pijama há coisa de 2 dias! 

9 – um livro da tua wishlist
Não vamos falar de coisas tristes sim. O ano ainda não acabou, a pessoa ainda mal começou a avaliar os estragos de 2015 e já me querem meter a falar de livros que ainda não comprei! Nahh nahhh... 

10 – uma memória de natal
Awww tantas! Bom, eu adoro o Natal e por isso tenho imensas memórias associadas à época. Mas neste momento, e talvez por estar na cama, lembro-me de num natal, daqueles passados na aldeia, ter acordado na manhã de dia 25 e ter aos pés da cama uma boneca do estilo barbie, com um longo vestido vermelho de veludo! Era muito pequena para ficar acordada até à meia noite, então as prendas de Natal eram abertas só de manhã. Eu adorava aquela boneca e aquele vestido. Vermelho escuro, macio e com bolinhas no decote. Era o vestido de sonho! Claro que também me lembro de abrir as prendas antes do tempo e depois tornar a embrulhar e colocar de forma perfeita debaixo da árvore... mas é melhor não falar disso, porque a minha mãe pode estar a ler. Ah e falando em mãe, uma das melhores recordações envolve-a e tem a ver com o que mencionei antes sobre as decorações de Natal. Lembro-me que ficavam sempre à nossa responsabilidade. Sair de casa para ir comprar o pinheiro, que na altura era natural, procurar musgo e pedras para construir um presépio grande... tudo memórias que espero nunca vir a esquecer. 

11 – algo que não gostas no natal

12 – livro que oferecerias a alguém

13 – mostra as tuas capacidades para fazer embrulhos – embrulha um dos teus livros favoritos
Tchanannn =)

14 – um livro tão lindo que merece ser o topo da árvore de natal
Vamos todos parar um momento para apreciar esta beldade de livro que me vai chegar às mãos esta semana que vem...
Podem voltar a respirar! Mal posso esperar por ter este livro nas mãos, por o ler, por o babar todoooo! Confesso que do pouco que vi, não sou a maior fã de algumas das ilustrações que o senhor Jim fez. No entanto não há como negar que este livro é a coisa mais foooofa da estante. Agora, se já o têm lanço-vos o desafio. Quem conseguir colocar este livro no topo da árvore e fazer com que ele se aguente lá, ganha um chocolate! =) hihihih

15 – pior presente de natal que já recebeste
Podia sentar-me aqui e começar com o discurso de as prendas não importarem para nada e tal... mas... há prendas e prendas. A pior prenda que já recebi, foi um pijama polar, cor de rosa com cavalinhos de carrocel. A coisa não só era feia, como não me servia e era infantil, tendo em conta que eu estava com uns 16 anos!!! Odiei! 

16 – uma decoração da tua estante
A minha estante está o caos e neste momento a única decoração que tem são caixas de cartão que precisam de ser levadas para o ecoponto mais próximo. Ando seriamente a pensar mudar as estantes. Fartei-me da mobília escura e agora quero estantes branquinhas. Portanto vem por aí remodelações e novas decorações! 

17 – um livro que te foi oferecido

18 – a tua família literária favorita
19 – fecha os olhos, desenha e mostra o melhor cenário de leitura para esta época do ano
20 – um livro com ilustrações

21 – descreve o teu prato de natal favorito sem dizeres realmente o que é
Ora bem... vamos falar de comida mas sem falar realmente nela. Adianto já que se conseguirem adivinhar o meu prato preferido ganham um hi5 =)
Portanto, aquilo que mais gosto de comer no Natal são umas bolinhas que fazem tão mas tão bem à saúde. Gosto de as cozer simplesmente e depois regar com aquele líquido escorregadio que vem dum fruto =)
Ora estas bolinhas acompanham com muitas coisas. Tradicionalmente vão com um peixe que adoro também, mas que tenho evitado comer. Aos anos que imploro ao meu pai para fazer estas bolinhas no natal, mas ele diz sempre que não, porque a tradição manda comer batatas e não _________ bolinhas. Convenhamos que eu como estas bolinhas pelo menos 1 vez por semana, por isso até nem me posso queixar muito. Para além destas bolinhas giras, adoro comer umas coisas que são bastante versáteis. Dá para cozer, fritar, assar... no meu caso, a coisa vai bem assada com ervas aromáticas! Aiii o sonho! Era capaz de comer estas coisas versáteis a toda a hora!
Chegaram lá? 

22 – uma leitura que é uma prioridade

23 – usa uma decoração de natal como acessório


24 – livro que se passa onde vivo


Feito! Agora são vocês a responder!!! Quero muito conhecer melhor esses hábitos natalícios! Feliz Natal para todos e boas leituras! 







domingo, 20 de dezembro de 2015

Naomi's Room - Opinião

Opinião: Não posso deixar o ano acabar sem actualizar este meu cantinho. A preguiça é mais que muita, as leituras também, e o trabalho no emprego a mesma coisa. O mês de Dezembro é sempre puxado para qualquer professor e para os meus lados a coisa não é excepção. Portanto, antes de me ir atirar ali a algumas tarefas domésticas pendentes (sim, ainda a roupa por passar) hoje trago-vos a opinião do terceiro e ultimo livro que li para o projecto Boohoo. Desta feita, trata-se de um livrinho em inglês e o único que de facto se enquadra na temática do horror, ou não fosse o senhor Jonathan (aparentemente) um mestre dentro do género.
Naomi's Room, conta-nos a terrível história de uma criança, a Naomi, que uns dias antes do Natal, enquanto passeava com o seu pai, desaparece misteriosamente. No dia de Natal o seu corpo aparece completamente desfeito, mutilado e não parece haver explicação possível para o seu assassinato.  Os seus pais entram então num estado de letargia profunda, de depressão e é nesta altura que várias coisas começam a acontecer em simultâneo. Sons começam a ouvir-se na casa onde vivem, passos, sussurros assim como vários barulhos estranhos vindos do sotão, que se encontra sempre fechado. À medida que a investigação policial avança, o pai da Naomi vê-se cada vez mais envolvido na trama e passa a contar com a ajuda de um jornalista, que lhe revela uma série de fotografias perturbadoras, tiradas na casa dele.
Se antes deste momento as coisas já estavam assustadoras para mim, quando aparece este jornalista e a trama se adensa, tudo piorou (ou melhorou, depende do ponto de vista). Nunca tinha lido nada tão assustador como este livro. Escrito de forma brilhante consegue manter-nos presos à história mesmo quando queremos parar e, acreditem que eu quis parar algumas vezes! Adorei o facto de a história nos ser contada de forma muito discreta e subtil, ou seja, e vamos ver se me consigo explicar bem, apesar de ser um livro muito assustador e que se torna cada vez mais violento à medida que avança, o autor conseguiu desenvolver a história sem ser brusco, sem ser óbvio ou sem descrever as cenas de violência tipo in your face. Acho que não me estou a explicar bem. Ele fê-lo com uma subtileza incrível que não deve ser fácil de manter num livro deste género, o que só serviu para o tornar ainda mais assustador.
Foi uma leitura perfeita para o tema que estávamos a abordar nos canais e blogs mas também é uma leitura que aconselho a fazerem nesta época natalícia. Longe de terminar bem e de ser um livro feliz, passa-se na época do Natal, com muito frio, muitos arrepios e mistério. Sem dúvida que aconselho para os fãs do género mas atenção com o inglês; não é o mais simples do mundo. Vale a pena o esforço e gostei tanto que já adicionei mais livros do autor à lista!



Sinopse: On Christmas Eve, four-year-old Naomi Hillenbrand disappears from her father's side in a crowded toy store; on Christmas Day, her mutilated body is discovered in a field. But a part of Naomi remains, unwilling or unable to leave this world. Ghostly photographs capture her playing with two other little girls dressed in Victorian garb while a sinister man in black watches...watches them all.

Charles Hillenbrand is tormented by grief. When sinister whispers in the night begin to taunt him, he tries to uncover the evil truth behind Naomi's death. But long-buried secrets await him and threaten to take him beyond the brink of sanity, to a place where he could lose his very soul.

domingo, 6 de dezembro de 2015

#RudClaus 2 * As Decorações de Natal


Aqui fica o meu primeiro vídeo feito para o projecto. Estas são as minhas decorações de Natal para este ano. No vídeo contei com a preciosa ajuda dos meus gatos Sebastião e Nala. Espero que gostem! 

2º Passatempo de Natal * Memórias de um Vampiro


Hoje trago-vos mais um passatempo de Natal. Já sabem como a coisa se processa certo? Para participar só têm de preencher o formulário e cumprir as regras de participação. O passatempo é válido até ao dia 20 de Dezembro de 2015
Boa sorte a todos! 

Regras de Participação:


1- Apenas é permitida uma participação por pessoa;
2- O envio do prémio será feito por mim;
3- O vencedor será escolhido através do Random Org;
4- O vencedor será publicado no blog e contactado por mim para o email que referir no questionário;
5- Apenas serão aceites participações com moradas de envio em Portugal Continental e Ilhas;
6- É obrigatório ser seguidor do blog e fazer partilha pública do passatempo, numa rede social à escolha.


Sinopse: Memórias de Um Vampiro é o primeiro volume de uma trilogia onde romance e aventura se combinam para nos abrirem as portas a um universo repleto de emoções intensas, valores supremos e conflitos arrebatados. Daimon DelMoona, nascido no século XVII, viu o seu mundo desmoronar-se quando a mulher que ia desposar morre. Do seu sofrimento é resgatado por uma vampira, que lhe concede o Novo Nascimento. E assim começa uma odisseia que atravessa os séculos para culminar numa batalha contra o tirano Alexander, um vampiro sedento de poder. Para travá-la, novas alianças terão de ser forjadas, e um amor com ressonâncias do passado terá de ultrapassar duros obstáculos. Mas conseguirá Daimon vencer esta cruzada e concretizar o seu amor sem fim?

Divulgação * Bizâncio


Sinopse: Em 1755, um terramoto destruiu Lisboa e uma nova cidade nasceu com prédios de habitação colectiva, onde os lisboetas se abrigaram refazendo as suas vidas.

Mas será que o modelo de casa instituído pelo Marquês de Pombal mudou assim tanto ao longo do tempo? E o que mudou?
Durante séculos, Lisboa foi essencialmente uma cidade de inquilinos. Quem desejava ter uma habitação percorria as ruas da cidade procurando os prédios que tinham «escritos» nas janelas, o que significava que, nesse edifício, haveria uma casa para alugar.
Porém, no século XX, Lisboa torna-se uma cidade de pequenos proprietários. Como se deu e o que determinou uma tão ampla alteração? Esta obra guia-nos pelo crescimento, expansão e alterações da cidade de Lisboa, dos seus bairros e suas casas
.


* Já Disponível


http://www.editorial-bizancio.pt/novidades.php?col=18&id=591

Domingos de Preguiça ou Semanas de Preguiça

Alguém sabe, por favor, como tirar o demónio da preguiça de dentro de uma pessoa?? Não?? Ahhh bolas... lá terei então de continuar a conviver com ele.
Então... diz que já passou uma semana desde que publiquei aqui. Pois...
Bom, a verdade é que não há de facto uma boa razão para não o ter feito. Quando uma pessoa está doente, ainda é naquela... agora quando o motivo principal é sofrer de preguicite aguda,aí meus amigos, já não há mesmo muito a fazer. É o meu estado para o dia de hoje; Domingo fresco de nevoeiro (pelo menos a esta hora), onde a única coisa que se ouve são as canções de Natal que alguém teima em tocar no carrilhão cá da cidade. Não me estou a queixar... afinal de contas escolhi vir viver mesmo ao pé de uma igreja, que por acaso tem o maior carrilhão, ou um dos maiores da Europa... algo assim. Com o friozinho que está, as mantas nas pernas e a lareira, se fechar os olhos quase que parece que estou na aldeia. 
Mas se o problema fosse sofrer de preguicite aguda apenas aos Domingos, meus amores, estávamos bem certo? Mas e quando o mal ataca mal calçamos o pé em casa assim que chegamos do trabalho? Yup... é isso que tem acontecido comigo todos os dias desde Domingo passado. É esta a minha desculpa. Chego a casa e todos os dias abro o blog e penso em escrever. Penso nas cerca de 5 opiniões que tenho em atraso, nas coisas sem jeito nenhum que gostaria de partilhar com vocês e aí sento o rabo no sofá e algo se apodera de mim (agora está a tocar o Gloria e o pior é que sei a letra).
O lado menos mau desta crise de preguiça que anda a afectar o blog, assim como o monte de roupa por passar, é que continuo a ler ao mesmo ritmo de sempre. Terminei A Hora Solene, do nosso querido Nuno Nepomuceno e parti finalmente para as leituras do projecto RudClaus. Leituras natalícias que combinam na perfeição com o ambiente mais preguiçoso no qual me encontro.
Ainda assim, sinto que ainda não estou dentro do espírito natalício como em anos anteriores. Gosto de culpar duas coisas por isto. Uma delas é o facto de o euro milhões ainda não me ter saído. Não entendo porquê... se há pessoa que o merece sou eu  cof cof. E a outra é esta bosta de tempo que não se decide a ser frio a sério. Porra, estamos quase a entrar no Inverno e as temperaturas ainda rondam os 20 graus. Que raio se passa??? A cimeira do clima devia estar a decorrer em Lisboa, para o senhores sentirem na pele as alterações climáticas. Não preciso de desculpas para acender a lareira.. acendo mesmo assim porque sou uma friorenta do pior. Mas que as coisas teriam um gostinho diferente com frio a sério lá fora, aí teriam. Ainda não comprei todas as prendas de natal que queria... ainda não embrulhei tudo aquilo que aqui tenho... e ainda nem pensei onde vou passar as festas este ano. Alguém me quer acolher?? Portanto como vêem é muita preguiça junta assim como muita coisa para fazer e decidir. Durante o dia de hoje vou tentar actualizar aqui o cantinho, varrer o chão e limpar as teias de aranha aos posts. Hei de escrever tanto que se vão fartar de mim =)
Oh bolas o concerto terminou... snif snif que andam a ler??? 

domingo, 29 de novembro de 2015

1º Passatempo de Natal * O Feiticeiro e a Sombra


Hoje, dia 29 de Novembro e, prestes a entrar no ultimo mês do ano, dou inicio aqui no blog a uma série de passatempos de Natal! Tenho vários livros para oferecer, alguns meus e outros de parcerias! Espero que gostem, que participem e que se divirtam muito nesta quadra! 
Hoje tenho para vos oferecer um exemplar do livro O Feiticeiro e a Sombra, de Ursula k. Le Guin.
Para se participar só têm de preencher o formulário e cumprir as regras de participação. O Passatempo é válido até ao dia 20 de Dezembro de 2015! 


                                     Regras de participação:

1- Apenas é permitida uma participação por pessoa;
2- O envio do prémio será feito por mim;
3- O vencedor será escolhido através do Random Org;
4- O vencedor será publicado no blog e contactado por mim para o email que referir no questionário;
5- Apenas serão aceites participações com moradas de envio em Portugal Continental e Ilhas;
6- É obrigatório ser seguidor do blog e fazer partilha pública do passatempo, numa rede social à escolha.


Sinopse: Numa terra longínqua chamada Terramar vive o maior de todos os arquimagos. O seu nome é Gued, mas há muito tempo atrás, ele era um jovem chamado Gavião, um ser estranho, irrequieto e sedento de poder e sabedoria, que se tornou aprendiz de feiticeiro. Neste livro conta-se a história da sua iniciação no mundo da magia e dos desafios que teve que superar depois de ter profanado antigos segredos e libertado uma negra e pérfida sombra sobre o mundo. Aprendeu a usar as palavras que libertavam poder mágico, domou um dragão de tempos imemoriais e teve que atravessar perigos de morte para manter o equilíbrio de Terramar. No meio de um suspense quase insustentável, de encontros místicos, de amizades inquebrantáveis, de sábios poderosos e de forças tenebrosas do reino das trevas e da morte, Gued não pode vacilar, qualquer fraqueza sua fará perigar o equilíbrio que sustenta o mundo… e a sombra maléfica que ele libertou, gélida e silenciosa, só está à espera desse momento para devastar, com as suas asas negras, o mundo inteiro.
O Ciclo de Terramar é uma admirável tetralogia, por muitos comparada a clássicos como «Narnia» de C.S. Lewis ou «O Senhor dos Anéis» de J.R.R. Tolkien. Esta magnífica saga, que se tornou numa obra de referência no vastíssimo percurso literário desta escritora norte-americana, tem início com «O Feiticeiro e a Sombra». O universo de Terramar, simultaneamente tão semelhante e diferente do nosso, é, sem dúvida, uma das maiores criações da literatura fantástica, e o poder misterioso e mágico que emana da narrativa, a sensibilidade que ilumina os momentos de profunda sabedoria, a intensidade das personagens, o estilo elegante e cristalino conquistam-nos de imediato e rapidamente nos arrebata para os meandros dos seus reinos imaginários.

domingo, 22 de novembro de 2015

Leituras de fim de semana * só que não

A meteorologia prometia um fim de semana frio e chuvoso. São raras as vezes que a coisa é cumprida mas desta vez, parabéns senhores do tempo; acertaram. Ora quando soube isto pensei imediatamente aquilo que todo o bom livrólico que se preze pensa: "Deixa-me lá hibernar debaixo dos cobertores, com um bom livro. Acordem-me segunda feira". 
Também esta foi a minha ideia no final de Sexta feira. Só que não. A coisa não está a correr como planeado. Por breves, mas apenas breves momentos, esqueci-me que ontem tinha um almoço livrólico. Passado o esquecimento, lá me muni eu de casaco quente e cachecol, e rumei a Lisboa, pronta para passar uma tarde divertida com amigos. O dia foi ficando cada vez mais frio (mesmo) e pelas 19.30 já eu me encontrava debaixo de uma manta no sofá. E foi então que pensei que era naquele momento que ia ler. Quem já foi a um encontro livrólico conhece bem a sensação de passar o dia rodeada de livros, amigos, boa conversa e de chegar a casa apenas com o desejo de ler, ler ler... ou então de pesquisar livros novos que se falaram no almoço. Só que não. A preguiça falou mais alto e, eu não li uma única página.
Chegou o Domingo (hoje portanto) e o plano passava por limpar a casa num instantinho e preguiçar a ler... e a comer bolachas que nunca mais acabam. Folgo em dizer que parte do plano foi cumprido com sucesso. Comi efectivamente muitas bolachas e mais se avizinham na minha boca. Mas e ler? Ando aqui de um lado para o outro com o livro A Hora Solene, do querido Nuno.
Já o comecei a ler há alguns dias de facto, mas não sei porquê, não estou a conseguir avançar muito na leitura.
Atenção que não é por estar a ser mau, não vão vocês começar já a pensar isso. É só que, simplesmente, não estou a conseguir ler. Passei a manhã a ver filmes, em vez de limpar, comi bolachas, em vez de almoçar a sério, e agora estou a olhar para uma travessa de castanhas que está a assar no forno, com o livro ao meu lado. Mas e ler? Nada.
Dezembro é sempre uma altura do ano muito critica para mim (a nível de leituras). Começo a acusar o cansaço de ter lido tanto ao longo do ano e a vontade para continuar, começa a esmorecer. 
Adicionar legenda
De repente não me apetece fazer leituras exigentes, complicadas, ou até com muita qualidade. Não me apetece fazer nada e nem sequer o meu namorado André Marques Smith me está a conseguir tirar desta letargia de fim de semana. Ora agora a questão que se coloca é: O que é que eu faço?
Largo tudo e forço-me a ler? Sim, porque parte de mim acredita que a solução para ler finalmente, passa por desligar o pc e recolher-me ao vale dos lençóis. Ou, a segunda opção, continuo a comer bolachas e castanhas, enquanto penso que devia limpar qualquer coisinha ou mesmo passar a ferro?
O que é que eu faço???

Sinopse: Lutai, vós, homens de valor. 

Londres, Reino Unido. 

Numa fria noite de tempestade, um homem é esfaqueado e abandonado na rua. A poucos quilómetros de distância, um terrorista pertencente a uma organização criminosa auto-intitulada O Gótico entrega-se aos serviços secretos. Ao mesmo tempo, um avião sofre um violento atentado ao sobrevoar a Irlanda e um vídeo é enviado à redacção de uma famosa cadeia televisiva.

A intriga acentua-se quando um milionário começa a ser alvo de extorsão. No centro destes acontecimentos, encontra-se André Marques-Smith. Alto funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o espião português é obrigado a protegê-lo. Mas não está sozinho. Foragidos, dois colegas dissidentes regressam e revelam ao mundo a verdadeira génese de um antigo projecto de manipulação genética. E há ainda uma mulher. Em parte incerta, esta enigmática espia de feições orientais poderá ser a chave de todo o mistério. Mas que explicação haverá para o seu desaparecimento? Conseguirão os dois agentes ultrapassar o fosso criado entre eles?

Através de uma viagem frenética por entre os deslumbrantes cenários reais de Moscovo, Londres, Hong Kong, Macau, Praga, o Grande Buraco Azul e Lisboa, os perigos multiplicam-se e André dá por si a lutar pela sobrevivência. Questões sobre ética, moral, religião, família e o valor da vida humana são levantadas. E uma teia de falsas verdades, ilusões e complexas relações interpessoais é desvendada no derradeiro capítulo de uma série policial que já marcou a ficção portuguesa.

Inspirado num discurso de guerra de Winston Churchill, depois de ver o talento confirmado com A Espia do Oriente, revelado ao público através da vitória no Prémio Literário Note! 2012 com O Espião Português, Nuno Nepomuceno apresenta A Hora Solene, a terceira e última parte da trilogia Freelancer. Um romance de espionagem imprevisível, no já característico estilo sofisticado e intimista do autor, onde os valores tradicionais da cultura nacional se fundem com uma abordagem inovadora e única que o irá surpreender. 


RudClaus * 2ª edição


Lembram-se do projecto de Natal em que participei o ano passado, conjuntamente com a Catarina e a Jojo? Pois este ano vamos ter uma segunda edição! Não podia deixar de ser pois afinal de contas já sabem bem o que é que a casa gasta. Só que este ano vamos ter mais uma menina connosco. A Mariana, ou Mary, do Mary Red Hair vai juntar-se a nós. Agora somos 4 e já estamos a planear montes de coisas. Leituras, tags, trabalhos manuais e quem sabe um passatempo =)
Espero que fiquem desse lado e que nos acompanhem! Sei muito bem que o projecto boohoo foi um bocadinho um fiasco, pelo menos da minha parte. Mas este, não o vai ser. Afinal de contas todas adoramos o Natal e por isso mesmo, vamos esmerar-nos! Ansiosos? 

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Pura Coincidência - Opinião


Antes de mais é importante explicar o porquê do livro Pura Coincidência constar das leituras feitas para o projecto Boohoo.
Se viram o vídeo de leituras sabem, que este livro não constava da tbr do horror. Não é um livro claramente de terror, nem contém aspectos do género fantástico pelo que, à partida não faria sentido constar da mesma. No entanto, e à medida que fui vendo que não ia conseguir dar vazão a tudo o que tinha para ler, decidi incluir este thriller psicológico na lista. Afinal de contas considero que o mês do horror tem de incluir aquilo que mais nos assusta ou fascina e, eu acho realmente que um bom thriller psicológico deve constar da lista. Por isso , aqui fica a opinião de um dos melhores livros dentro do género, que li este ano. 

Pura Coincidência conta-nos a história de Catherine. Ela e o seu marido Robert mudaram recentemente de casa e portanto ainda têm muita coisa para organizar. É num destes momentos de organização em que a Catherine dá conta de um livro que não conhece. Nunca antes o viu, mas parte do pressuposto que pertence ao seu marido e, é desta forma que o decide começar a ler. À medida que vai avançando pelas páginas, rapidamente percebe que aquele não é um livro qualquer. Aquele livro desconhecido conta a sua história. Algo que lhe aconteceu no passado e que devia permanecer assim. Enterrado no passado. Um segredo terrível que durante anos ocultou de toda a gente e que agora começa a vir à tona. 
Este livro é brutal! Alterna entre dois narradores, sendo um deles obviamente a Catherine, e o outro, o Stephen, um senhor já idoso e que à primeira vista não teria qualquer tipo de relação com a nossa narradora. É claro que à medida que a história avança vamos então compreendendo qual é o laço que os une e qual é então o cerne da história que o livro conta. Fenomenal. A escrita da autora conseguiu manter-me presa desde o começo sendo que não houve um único momento em que me tivesse apetecido parar. Página atrás de página, vamos tecendo teorias acerca do que poderá ter de facto acontecido, de tal forma que, são vários os momentos em que ora sentimos empatia pela Catherine, ora pelo Stephen, deixando de ser claro quem é que é a vítima na história. 
Quando no final tudo se esclarece, somos completamente apanhados de surpresa. De todas as ideias que fui tendo ao longo do livro, nenhuma se aproximava remotamente da verdade, pelo que a única coisa que tenho a dizer à senhora Renee é, touché! 
Sem dúvida que recomendo este livro a qualquer fã de uma boa trama. Longe de possuir violência física, é de uma brutalidade psicológica imensa e apesar de não ser o tipo de livro que termina com um final feliz, é o tipo de história que encerra de forma certa. 




Sinopse: E se de repente se apercebesse de que é o protagonista do aterrador romance que está a ler? Catherine tem uma boa vida: goza de grande sucesso na profissão, é casada e tem um filho. Certa noite, encontra na sua mesa de cabeceira um livro com o título "O perfeito desconhecido". Não sabe como terá ido parar ao seu quarto ou quem o terá ali posto. Ainda assim, começa a lê-lo e rapidamente fica agarrada à história de suspense. Até que, depois ler várias páginas, chega a uma conclusão aterradora.

O perfeito desconhecido recria vividamente, sem esquecer o mais ínfimo detalhe, o fatídico dia em que Catherine ficou prisioneira de um segredo terrível. Um segredo que só mais uma pessoa conhecia. E essa pessoa está morta. 

domingo, 15 de novembro de 2015

Wish de Natal


Yup... leram bem ... Natal! Porque se formos ver bem as coisas, já falta muito pouco e quando dermos por ela é Natal! Por isso decidi organizar aqui no blog uma pequena listinha de desejos (para depois imprimir e distribuir pela família, tipo lista de casamento, como se faz nos states). 
Antes de começar, deixem-me só fazer um pequeno apontamento sobre esta imagem aqui ao lado, completamente roubada do tumblr de alguém. Não sei quanto a vocês, mas eu não gosto do tipo de luzinhas de Natal que hoje em dia se utiliza. Pronto, achei que o mundo precisava de saber disto! Quando eu era pequena, lembro-me que as luzinhas que utilizávamos na árvore eram iguais a estas da foto. Pontiagudas e com cores lindas. Havia cor de rosa pelo amor da santa, rosa!!! Hoje em dia as luzes são uma seca composta por cores básicas que lembram peças de lego. Detesto! Quero as antigas luzinhas de volta! Posto isto, se estiveres a ler isto e, por acaso souberes onde é que ainda se podem encontrar luzinhas com cores decentes, diz qualquer coisa nos comentários, que eu vou a correr (excepto se viveres nos states).
Ora bien, vamos a prendas. Este ano, e como sabem, mudei de casa o que quer dizer várias coisas. Uma delas é que, ainda que me pareça que já passou muito tempo desde a mudança, ainda só cá estou há 15 dias. A outra é que ainda tenho muitas coisas que preciso comprar para a casa. Este segundo ponto é de facto o mais importante este Natal e o mais chato. Odeio comprar coisas para a casa simplesmente porque me impedem de comprar outras que prefiro, tais como livros... No fundo isto quer dizer que este ano, não vai com certeza haver tanta fartura de livros no sapatinho, como em anos volvidos. No entanto isto não impede a pessoa de fazer a listinha né, não vá algum duende do Pai Natal estar a ler isto! Portanto sem mais demora, aqui fica a Wish de Natal da Neuza (sou eu) !


E pronto, é isto! Não se pode dizer que eu esteja a ser muito exigente... até porque, é claro, há muito mais livros que poderiam estar nesta wish e até outros objectos. Mas estes são os 3 livros que nos últimos tempos me têm feito suspirar. As probabilidades de eu acabar por comprar o livro da Trisha, mais cedo ou mais tarde, são muito altas... porque ... é a Trisha pelo amor da Santa, vocês sabem como eu adoro os livros da senhora.
Quais sãos os vossos desejos de Natal? Se pudessem escolher qualquer livro este ano, qual seria?

Já sabem: pontiagudas e cor de rosa... digam qualquer coisa =) 



sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Alguns livros e outras coisas



Aqui fica o ultimo video do canal. Um video de aquisições e unboxing... um em que nada correu muito bem! =)
Esta semana era para já ter publicado mais dois vídeos no canal, mas a maldita amigdalite deitou-me a baixo, pelo que... terá de ficar para os próximos dias. Espero que gostem! 

Rainha Vermelha - Opinião

Opinião: E porque vem sendo hábito nos últimos tempos as opiniões aqui no blog andarem meio atrasadas, heis mais uma, para alegrar esta Sexta Feira 13. Hoje, e aproveitando que estou de molho por estar doente, trago finalmente a opinião do livro Rainha Vermelha, a melhor história dentro do género que li este ano. Quanto ao nome do género acho que vou deixar ao critério de cada um. Uns dizem que é fantasia, outros distopia e outros ainda acrescentam, ficção cientifica. Como eu sou péssima a identificar e atribuir estes rótulos aos livros..olhem escolham vocês =)
Rainha Vermelha, um livro que nos pode trazer à memória outros que já tenhamos lido. Se é esse o vosso caso, talvez não tenham gostado assim tanto desta história. Como eu sou uma sortuda, e não li nada daquilo a que é comparado (com uma excepção) não me posso queixar. Adorei a história da Mare. O começo não foi fácil e confesso que tive alguma dificuldade em entrar na história, precisamente por me estar a fazer lembrar HG. Mas há ali um momento, que nos vos sei bem identificar qual foi, em que tudo muda e em que não consegui largar mais o livro. Posso afirmar, e isto vai ser um bocadinho forte por isso preparem-se, que de todos os livros que li este ano, este foi o único que quando o terminei, tive vontade de ler de novo outra vez! Pronto já disse! Julguem-me!
Rainha Vermelha conta-nos a história de Mare, que com 17 anos se vê a viver num mundo muito peculiar. Um mundo que em as pessoas se organizam em função da sua cor de sangue. Existem os Vermelhos, que são no fundo as pessoas comuns, que trabalham e ajudam a manter de pé esta sociedade. E depois temos os Prateados, que são como a realeza e cujo sangue é de facto prateado. Mas esta não é a única diferença entre os dois grupos. Os prateados distinguem-se por terem habilidades especiais. Poderes capazes de manipular elementos, mentes... tudo o que possam imaginar. Este livro prende-nos sobretudo a partir do momento em que a Mare se vê envolvida na corte Prateada, onde do nada e sem saber como, descobre que também ela, apesar de Vermelha, tem um poder. Passa então a ter de viver na corte e a ser obrigada a desempenhar um papel falso para poder sobreviver.
Eu adorei esta história; tudo nela me cativou e me fez querer ler sem parar. Desde as personagens, passando pelas intrigas (que são um ponto super forte) terminando naquela reviravolta brutal e que, eu pessoalmente, não esperava. Apanhou-me completamente desprevenida e fiquei a soltar uns quantos "nãooo possooo" pelo comboio. Juro que isto aconteceu. A personagem principal é forte, decidida e sabe aquilo que quer, o que acaba por ser um bocadinho raro neste tipo de livros com protagonistas femininas. Os rapazes.. mhe, são rapazes e portanto um bocado estúpidos, mas ainda assim, há ali uns quantos que são bastante fortes e dos quais espero ler muito mais no segundo livro (que não sei se sabem, sai daqui a 1 ano -_- ). A escrita é carregada de acção, há sempre alguma coisa a acontecer, o que nos faz querer ler mais e mais. E o final! Que final! Preciso desta continuação... já!!


P.S. - Como toda a gente compara este livro a algum outro, eu também vos vou fazer o favor de dizer o que foi afinal que este livro me lembrou. Não como forma depreciativa, porque eu adorei o livro! Se eu tivesse de descrever a Rainha Vermelha, eu diria que é um bom cruzamento entre Jogos da Fome e X Man .
Satisfeitos? =)

Sinopse: O mundo de Mare, uma rapariga de dezassete anos, divide-se pelo sangue: os plebeus de sangue vermelho e a elite de sangue prateado, dotados de capacidades sobrenaturais. Mare faz parte da plebe, os Vermelhos, sobrevivendo como ladra numa aldeia pobre, até que o destino a atraiçoa na própria corte Prateada. Perante o rei, os príncipes e nobres, Mare descobre que tem um poder impensável, somente acessível aos Prateados.


Para não avivar os ânimos e desencadear revoltas, o rei força-a a desempenhar o papel de uma princesa Prateada perdida pelo destino, prometendo-a como noiva a um dos seus filhos. À medida que Mare vai mergulhando no mundo inacessível dos Prateados, arrisca tudo e usa a sua nova posição para auxiliar a Guarda Escarlate - uma rebelião dos Vermelhos - mesmo que o seu coração dite um rumo diferente.

A sua morte está sempre ao virar da esquina, mas neste perigoso jogo, a única certeza é a traição num palácio cheio de intrigas. Será que o poder de Mare a salva... ou condena? 

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

O Último Adeus - Divulgação SUMA

Sinopse: Numa majestosa casa de campo inglesa um miúdo desaparece sem deixar rasto durante a festa do solstício de Verão. Apesar da exaustiva investigação policial não se encontra rasto algum. A família do miúdo, desfeita e desesperada, faz as malas, fecha as portas e regressa a Londres para nunca mais voltar.
Setenta anos depois a inspectora de polícia londiniense Sadie Sparrow, de visita na casa de seu avô em Cornualha, saí a correr pelo bosque e encontra uma mansão abandonada. Espreita através de uma janela e sente que alguma coisa terrível aconteceu nessa casa. Agora, cheia de curiosidade, esta decidida a descobrir que é o que aconteceu.

Sobre a Autora: Kate Morton, a mais velha de três irmãs, cresceu nas montanhas do Nordeste da Austrália, em Queensland. Formou-se em Arte Dramática e Literatura Inglesa e está a fazer o doutoramento na Universidade de Queensland. Vive entre Londres e Brisbane com a família.
É uma das autoras mais reconhecidas mundialmente: todos os seus romances alcançaram as listas de livros mais vendidos, estão publicados em 38 línguas e já venderam mais de 8 milhões de exemplares. 

Já nas livrarias

domingo, 8 de novembro de 2015

Os Contos de Beedle, o Bardo - Opinião


Agora que estou finalmente a começar a sentir-me em casa na minha casa nova e, que algumas coisas estão finalmente no seu devido lugar (ainda faltam muitas), está na altura de começar a meter as opiniões em dia aqui pelo blog. E são muitas acreditem. Tenho cerca de 6 opiniões em atraso para vos mostrar e todas de livros que, no geral, gostei muito.
Hoje trago-vos a opinião do livro Os Contos de Beedle o Bardo, de J.K. Rowling. Foi a primeira leitura feita no âmbito do projecto Boohoo, aproposito do Dia das Bruxas.

A verdade é que não tenho muito a dizer sobre o livro. Podia estar aqui a alongar-me acerca de cada conto e do que cada história trata, mas a verdade é que seria uma grande perda de tempo, apenas para no final dizer que dei 3 estrelas a este livro e que em suma, me desiludiu. Os Contos de Beedle o Bardo, era o único livro do universo Harry Potter que me faltava ler. Já falei sobre isto inúmeras vezes, mas eu sofro de um qualquer mal que ainda não foi correctamente diagnosticado, que tem a ver com o facto de eu detestar finais, conclusões, coisas definitivas. Raramente vejo, por exemplo, o ultimo episódio de uma novela ou série que goste muito, precisamente por a minha cabeça oca, preferir imaginar aquelas personagens todas felizes para sempre e coiso. Motivo pelo qual, apesar de ter obviamente concluído a saga Potter, nunca peguei neste livro. Passei anos a dizer que o tinha de comprar e no entanto, nunca o fiz. Não era pelo valor, não podia ser... afinal de contas o livro ronda o quê, os 7 euros? Compro tantos livros, porque não este também? Pois... porque eu não queria encerrar o ciclo Potter. E para verem bem como a coisa é, eu não comprei este livro... foi-me dado pela Jojo, amiga e companheira de projecto. Caso contrário o mais provável era que, até agora eu não o tivesse lido! 
Agora sobre o livro em si, como toda a gente sabe (ou assim deduzo eu) este livro contém uma série de contos infantis do universo mágico, que nos remetem imediatamente para o mundo Potter. Nesse sentido, foi tão bom tornar a sentir aquela atmosfera mágica de que tanto gostamos... enquanto lia, a única coisa de que me lembrava era do Ron a perguntar aos seus amigos como era possível que não conhecessem estas histórias infantis? Se tiverem lido os livros ou visto os filmes, certamente se lembram desta referência.
Sobre os contos, nada a apontar. São todos bons e é claro que gostei mais de uns do que outros, mas no geral são todos muito agradáveis e educativos. Apresentam-nos todos uma moral da história, tal como qualquer conto muggle. Mas o que me fez dar uma nota mais baixa ao livro, foram as anotações de Albus Dumbledore. Por vezes desnecessárias, demasiado longas e com quebras entre páginas que tornaram a sua leitura muito mais difícil do que o necessário. O Dumbledore nunca foi uma das minhas personagens preferidas... sempre o vi um bocado como um grande hipócrita...e sempre me questionei acerca das suas verdadeiras intenções, pelo que, ler as suas anotações não foi propriamente a cereja no topo do bolo.
Lá está, no geral gostei do livro, mas o que eu queria mesmo mesmo, era poder voltar a este universo com as personagens que tanto adoramos... Potter e amigos. Enfim, quem sabe um dia a senhora J.K. Rowling não decida fazer-nos o gostinho e levar-nos de volta a Hogwarts.



sábado, 7 de novembro de 2015

Conheço alguém que...


Vai delirar com esta novidade da Bizâncio! 

No dia-a-dia dos MacPhersons não há monotonia!


Nesta família de 2+3, como em todas as famílias com crianças cada dia é uma nova aventura.
A série de tiras que foi iniciada 1990 continua actual e hilariante.


Neste 32º volume pode contar com mais peripécias do dia-a-dia comuns a tantas famílias. Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência!

Disponível a partir de 13 de Novembro 

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Mil Folhas de Tudo e Nada # 8 | Mudanças e Rabo Firme

Sei que este mês já houve um Mil Folhas de Tudo e Nada, mas convenhamos, eu estava um tanto ou quanto triste nesse dia...eleições e tal, mas hoje a coisa é diferente. Hoje eu estou pura e simplesmente dorida. Dói-me tudo o que é músculo no corpo! Sei que ando a dizer isto desde Junho, mas vou mudar de casa. Finalmente a coisa está a dar-se e desde a semana passada que ando em mudanças. Uma caixita aqui, outra acolá, nada de muito sério, até que chegou o fim de semana. Vou resumir a coisa ao máximo: estou cansada. Optámos por ser nós a mudar tudo quanto é objecto sendo que, quem vai carregar com os móveis e electrodomésticos, são os "senhores das mudanças". Sexta feira de manhã a coisa vai finalmente dar-se o que significa que, nestes próximos 3 dias temos de acabar de pintar a casa, arranjar algumas coisitas por lá e carregar tudo o resto. Como livrólicos que são devem certamente estar a perguntar-se pelos livros; ora eu esclareço. Já lá estão minha gente! =) o fim de semana serviu para carregar com 500 livros! Sim... 500... e ainda faltam os livros infantis e de faculdade! Portanto, entre carregar 500 livros, tapar buraquinhos e lixar paredes, eu estou meio falecida. Para acrescentar um pouquinto de carga extra a isto tudo, esta noite que passou, decidi dormir na casa nova, munida de colchões e sacos cama, qual acampamento. E assim foi... dormi no meio de 500 livros! Tantas histórias, tanto drama, tanto sangue! Adormeci lindamente, mas dormi tão tãooo mal! E as dores nas costas quando acordei? Deus! Mas eu mereço... ai mereço... porque quem me manda a mim ter um vício que causa dores em tudo quanto é músculo? Por outro lado, quando compramos um livro, ele não vem acompanhado de advertência: "ATENÇÃO: em caso de mudança de casa, o livro não se carrega a ele próprio". Seria sem dúvida bastante mais esclarecedor do que certas sinopses que para aí andam. 

Outro aspecto para o qual também ninguém nos alerta, é para o facto de durante a semana das mudanças nos irmos alimentar mal. Simplesmente é assim que é. Come-se qualquer coisa, o que para quem, como eu, não come carne, significa duas coisas... comer sopas ou saladas, e como não como alimentos crus, vai de sopas e pizzas (vegetarianas). Já não posso ver pizza...ou lasanha de espinafres, ou rissóis, ou o que for. Preciso de estabilizar a coisa na minha nova cozinha e ver se faço uma pratada de lentilhas com batata doce! É que sabem, começam a faltar os ingredientes na dispensa e recuso-me a comprar mercearias que depois tenho de carregar duas vezes! No entanto, há que ter algum cuidado! Como é que é possível que ao fim de 1 ano sem carne, o meu corpo peça magnésio? Eu não sei... mas a verdade é que carece disso o que quer dizer que, entre uma caixa e outra lá vai um punhado de amêndoas pela goela abaixo. No fundo é isto. Mudar de casa não é fácil. Somos obrigados a fazer escolhas, ou pelo menos eu fiz. Alguns livros vão ser adoptados por outros livrólicos, montanhas de papeis velhos vão ser reciclados e a única coisa que fica, são os copos que a tia afastada deu, porque convenhamos, ela pode perguntar por eles no próximo almoço de Domingo.
Com isto tudo eu tenho esperanças que o meu rabo fique mais firme e a celulite desapareça... afinal de contas tem de haver benefícios em carregar com caixas escadas acima!